Home / Destaques / Prefeitos tentam sensibilizar bancada federal por recursos para obras sanitárias  

Prefeitos tentam sensibilizar bancada federal por recursos para obras sanitárias  

Sem recursos para executarem projetos de engenharia de esgotamento sanitário e abastecimento de água, 17 Prefeitos estão em Brasília buscando fontes para financiar as obras. O alvo principal em que apresentaram o pleito foi bancada federal do estado, que assistiu à explanação feita pela Associação Rondoniense de Municípios – AROM, nesta terça-feira (08). A entidade está confiante de que o posicionamento do parlamento será favorável aos municípios.

Ocorre que, os 18 projetos estão prontos para serem executados e foram elaborados pela Funasa ao custo de R$ 2,5 milhões, com possibilidade de atenderem cerca de 200 mil habitantes, gerando economia maior que R$ 700 milhões ao ano em gastos com saúde. Mas os gestores municipais precisam de R$ 196 milhões, para a execução dos empreendimentos, o que depende dos deputados federais e senadores fazerem essa indicação no Orçamento Geral da União.

Os Prefeitos esperam por uma saída: “nós fundamentamos a necessidade de investimentos no setor sanitário nessa reunião que pedimos à bancada. Parabenizamos a unidade do municipalismo em busca desses recursos e nos posicionamos em favor dos prefeitos, pois a entidade entende que os nossos parlamentares precisam tratar os municípios do interior com isonomia, respeitando suas dificuldades e encontrando uma forma de viabilizar esses recursos, assim como fizeram com a capital, Porto Velho, alocando toda a emenda de bancada”, disparou o Presidente da AROM, Jurandir de Oliveira.

O Prefeito de Pimenteiras, Olvino Donte, expos sua preocupação com o arrocho das notificações do Ministério Público a fim de corrigir a deficiência de saneamento, e desabafou: “temos os projetos prontos, que foram caros para serem elaborados, mas não temos recursos para executar. Por isso o Parlamento deve ter sensibilidade com o que eu passo diariamente lá na minha cidade. Só me resta contar com o empenho da bancada em me ajudar com esse problema, pois a prefeitura não tem capacidade financeira para solucionar”.

Segundo a AROM, a mobilização dos 17 prefeitos contemplados será mantida, mas que toda a gestão que compete institucionalmente à entidade está sendo empreendida. “Acredito que os prefeitos compreenderam a necessidade de se manterem unidos no mesmo propósito, uma vez que os Municípios vivem as mesmas dificuldades”, declarou o Presidente Jurandir.

Já o coordenador da bancada federal, deputado Nilton Capixaba, se comprometeu em interagir junto aos demais parlamentares e ao Ministério da Saúde, para viabilizar o pedido da AROM, seja pela FUNASA ou diretamente aos municípios. “Criamos esta audiência para entendermos as necessidades dos municípios e continuaremos prestando o apoio por aqui, discutindo a melhor forma de resolver a questão”, disse.

Autor: Assessoria/AROM

Veja Também

AROM sugere ao governo e à UNDIME solução para o transporte escolar

  Após um posicionamento firme, de críticas alarmantes da Associação Rondoniense de Municípios – AROM, …