Início » Destaques » Por videoconferência, prefeitos definem ações conjuntas contra o coronavírus em todos os municípios de Rondônia

Por videoconferência, prefeitos definem ações conjuntas contra o coronavírus em todos os municípios de Rondônia

Com a confirmação de casos de coronavírus (Covid-19) em Rondônia, os prefeitos dos municípios intensificaram as ações de combate à disseminação da doença. No último sábado (21), por meio de uma videoconferência, a AROM reuniu os gestores para discutir iniciativas conjuntas que serão realizadas para conter o avanço do número de infectados. Entre as medidas estão o isolamento social, fechamento de comércio e solicitação para que sejam suspensas viagens intermunicipais. Muitas prefeituras já implantaram barreiras sanitárias nas entradas das cidades.

 

AROM viu a necessidade de ações pontuais regionalizadas, tendo em vista a dimensão do estado e disposição dos municípios no eixo da BR-364 e fora dela. “Todos os municípios se conectam. Estamos diante de um cenário em que as perspectivas nos sugerem ações urgentes. Então, precisamos de medidas conjuntas, porque não adianta um reforçar as fiscalizações e outro municípios não fazer. O coronavírus é problema de todos nós, gestores e sociedade”, disse o presidente da AROM, Cláudio Santos, que é também prefeito de Theobroma.

A maior preocupação de todos os gestores é a velocidade em que os vírus avança. Desde o primeiro caso de suspeita no estado, a AROM vem atuando junto aos prefeitos com ações para conter a pandemia. Neste domingo, conforme boletim divulgado pela Agevisa, já são três os casos confirmados (dados da SESAU em 21 de março) em Rondônia, sendo um em Ji-Paraná e dois em Porto Velho. Em todo o país, os casos já superam 1.200, com 18 mortes.

Antes mesmo do primeiro decreto do Estado, já havia orientação da entidade no sentido de coibir eventos de aglomeração. No entanto, os prefeitos agora se preparam para enfrentar uma grande crise financeira nos municípios. Estudos da entidade apontam que a arrecadação dos municípios, fruto dos repasses constitucionais, deve cair em 25% a 30% no mês de abril. Além disso as economias locais serão prejudicadas. Para o presidente Cláudio Santos, isso é preocupante. “Mas, a nossa maior preocupação nesse momento é salvar vidas. Todos os esforços devem ser concentrados em conter a proliferação dessa doença. Por isso, temos que agir com sabedoria e, neste momento, é importante privarmos vidas. Essa sim, será a medida mais justa, e futuramente recuperamos nossa economia”, alertou o presidente.

O presidente ainda informou aos prefeitos sobre expediente encaminhado a todos os órgãos alertando sobre a fragilidade dos municípios no enfrentamento do coronavírus, eu também solicitando apoio das forças armadas, do governo do estado e uma medida firme junto a toda imprensa para que neste momento de pânico e desinformação, sejam priorizadas informações que realmente ajudem a população a enfrentar a pandemia.

 

Ações

Na videoconferência realizada no sábado, os prefeitos decidiram realizar barreiras nas divisas dos municípios, aplicando as orientações necessárias, controlando e acompanhando a entrada de pessoas de outros estados e países. Os prefeitos relataram ainda, que é enorme a quantidade de pessoas chegando de outro estados e países  tiveram grande número de contaminação, “e essas pessoas estão entrando nos municípios de Rondônia”, alertou o prefeito de Monte Negro, Evandro Marques. Neste casos, mesmo sem estrutura, as prefeituras estão realizando o cadastro e acompanhamento dessas pessoas com o intuito de diminuir a possibilidade da transmissão do vírus.

 

 

As equipes de Saúde estão em alerta, gerindo as ações de combate. Alguns prefeitos conquistaram o apoio local da polícia militar para auxiliar quanto a necessidade de cumprimento das determinações do Decreto de Calamidade.  “Este é o momento em que precisamos que todos os profissionais, de todas as pastas estejam bem e em condições de auxiliar. Principalmente a equipe de Saúde, que está na linha de frente. Nosso sistema de saúde, o SUS, é deficitário em todo o país. Queremos adotar medidas que minimizem o impacto na sociedade. Estamos conscientizando nossas comunidades, implantando barreiras, decretando calamidade, e estamos convictos de que o Estado, Bancada Federal e Assembleia Legislativa estão juntando força com os municípios. Precisamos desse apoio.”, destaca o presidente.

Como entidade representativa dos municípios de Rondônia, a AROM está com uma equipe de prontidão para orientar todos os prefeitos e secretários municipais das medidas de urgência a serem adotadas pelas prefeituras.

Mas, a sociedade também precisa contribuir. “Nós, prefeitos, teremos que atuar firmes para que isso ocorra. Estamos falando de um enfrentamento que poderá durar meses, vamos pagar muito caro pela falta de consciência. Estamos crentes que o estado e governo federal terão sabedoria para entender que, com as medidas corretas, poderão livrar Rondônia dos impactos maiores dessa pandemia”, finalizou.

Assessoria AROM